Make your own free website on Tripod.com

A BOLSA DE CHICAGO E O PREÇO DA SOJA (Parte VIII)

© Itamar De Zan, 2003.

 

 

O mercado de opções sobre contratos futuros de soja oferece uma grande variedade de maneiras de investir ou realizar hedge. Veremos mais adiante que através do acompanhamento das bases médias históricas (base = preço no mercado local – preço do contrato futuro), as opções podem ser utilizadas para se estabelecer um preço mínimo de venda da produção antes mesmo do seu plantio, sem abrir mão do benefício de uma possível alta nos preços. Por outro lado muitos investidores acham as opções atrativas pelas suas características de oferecer um potencial ilimitado de lucro enquanto que o risco é limitado. Outros acreditam que as opções são menos arriscadas porque a possibilidade de prejuízo é limitada para o comprador. Na verdade, as opções são tão arriscadas quanto os contratos futuros, mas o risco é de uma natureza diferente.

 

 

Conceitos

 

 

Opções são o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender o contrato futuro ou bem subjacente num preço específico por um tempo pré-determinado. Há dois tipos de opções:

 

1. Uma opção de compra ou call é uma opção para comprar um contrato futuro ou um bem num preço específico por um tempo pré-determinado. Por exemplo, em 20 de junho João decide comprar uma opção de compra ou “call” (leia-se kóll) que lhe permite comprar um contrato futuro de soja no preço específico de 10,58 dólares por saca. A opção deixa de ser negociada no tempo pré-determinado de 20 de outubro. O contrato futuro está sendo negociado atualmente em 10,54. Ele terá o direito, mas não a obrigação, de comprar o contrato futuro em 10,58 por saca até 20 de outubro.

 

 

2. Uma opção de venda ou put é uma opção para vender um contrato futuro ou bem subjacente num preço específico por um tempo pré-determinado. Por exemplo, em 20 de janeiro Maria decide comprar uma opção de venda ou “put” (leia-se pút) que lhe permite vender um contrato futuro de soja no preço específico de 10,58 por saca. A opção deixará de ser negociada em 20 de abril. O contrato futuro está sendo negociado atualmente em 10,54. Ela terá o direito, mas não a obrigação, de vender o contrato futuro em 10,58 por saca até 20 de abril.

 

O preço específico e o tempo pré-determinado para uma opção de compra ou de venda têm termos especiais:

 

O preço de exercício ou strike (leia-se stráik) é o preço específico em que o produtor ou investidor pode comprar ou vender o contrato futuro ou bem subjacente. Nos dois exemplos citados, as opções de compra e de venda são opções com preço de exercício em 10,58 dólares por saca. João tem o direito de comprar o contrato futuro em 10,58 e Maria tem o direito de vender o contrato futuro em 10,58.

 

A data de expiração da opção é a data em que a opção deixará de ser negociada. O tempo de expiração é o tempo pré-determinado, ou quantia de tempo remanescente durante em que a opção pode ser negociada até a data de expiração.

 

Uma opção é exercida quando a pessoa converte a opção em uma posição de compra ou de venda num contrato futuro ou bem subjacente. Por exemplo, se João exercesse sua opção ele ficaria com um contrato futuro comprado a 10,58. E se Maria exercesse sua opção ela ficaria com um contrato futuro vendido a 10,58.

 

Uma opção pode ser atribuída a uma pessoa que vendeu uma opção de compra ou de venda. Quando alguém exerce uma opção, este exercício é automaticamente atribuído para a outra pessoa que vendeu a opção.

 

Uma opção pode estar dentro do preço, no preço, ou fora do preço, dependendo do preço de exercício, do preço futuro, e se a opção é uma call (opção de compra) ou uma put (opção de venda).

 

1. Opção dentro do preço: Uma call ou opção de compra está dentro do preço quando o futuro subjacente está sendo negociado acima do preço de exercício. Uma put ou opção de venda está dentro do preço quando o futuro subjacente está sendo negociado abaixo do preço de exercício. A opção de venda de Maria está dentro do preço porque o contrato futuro está abaixo do preço de exercício.

 

2. Opção no preço ou próximo do preço: Uma call ou put está no preço se o futuro subjacente está sendo negociado bem próximo ao preço de exercício da opção. Se o contrato futuro da soja estiver negociando em 10,58, tanto a opção de João quanto a de Maria serão opções no preço ou próximo do preço.

 

3. Opção fora do preço: Uma call está fora do preço quando o futuro está abaixo do preço de exercício. Uma put está fora do preço quando o futuro está acima do preço de exercício. A opção de compra de João está fora do preço porque o preço de exercício está acima do preço onde o futuro está sendo negociado.

 

O valor intrínseco de uma opção é a porção do preço da opção atribuível ao fato de estar dentro do preço. A proporção ou valor em que a opção está dentro do preço é, portanto, equivalente ao valor intrínseco dela, como mostrado nas seguintes fórmulas:

 

Valor intrínseco de uma call = preço futuro – preço de exercício

Valor intrínseco de uma put = preço de exercício – preço futuro

 

Se uma opção tem um valor intrínseco negativo ou nulo, dizemos que ela não tem nenhum valor intrínseco.

 

O valor extrínseco de uma opção é a porção do preço de uma opção que não guarda relação com o preço intrínseco dela. O valor extrínseco de uma call ou put é:

 

Valor extrínseco = preço da opção – valor intrínseco

 

O valor extrínseco pode ser positivo, negativo ou zero. A maior parte das opções tem um valor extrínseco positivo. Algumas opções fortemente dentro do preço podem ter um valor extrínseco negativo, em parte porque nestes casos é mais proveitoso comprar ou vender o futuro subjacente do que a opção. Opções no preço, próximas à expiração, tendem a ter um valor extrínseco próximo a zero. O valor extrínseco é uma função de vários fatores, tais como a volatilidade do contrato subjacente e o tempo para expiração da opção.

 

Lançar uma opção é o mesmo que vende-la. O vendedor da opção está garantindo os direitos da opção para o comprador. O vendedor recebe um prêmio ou o valor da opção por aqueles direitos.

 

Uma opção do tipo americana permite que o comprador a exerça em qualquer momento durante a vida da opção. Este é o tipo de opção negociada na Bolsa de Chicago para o mercado da soja.

 

Uma opção do tipo européia somente pode ser exercida ao tempo da expiração da opção.

 

Para melhor compreendermos as opções e algumas das vantagens e desvantagens de negocia-las, vejamos como três diferentes cenários de mercado podem afetar o lucro ou prejuízo de João e Maria nos exemplos a seguir:

 

1. João é baixista a respeito do mercado que está atualmente negociando em 12,41 dólares por saca (5,63 por bushel), e acredita que o preço futuro pode chegar a 10,58 por saca (4,80 por bushel) nos próximos três meses. Ele não quer vender um contrato futuro porque se o mercado subir, ao invés baixar, ele pode perder muito dinheiro. Ele decide então comprar uma opção de venda ou put de 2.267 sacas (5.000 bushels) com preço de exercício ou strike em 11,90 a saca (5,40 por bushel) por 800 dólares, que expira em 20 de abril. A opção permite-lhe vender um contrato futuro de 2.267 sacas (ou 5.000 bushels) no preço de 11,90 a saca (ou 5,40 por bushel) em qualquer tempo até 20 de abril. Ele pode vender a opção de venda antes da expiração, mas acha melhor manter a posição no longo prazo.

 

2. Maria é altista a respeito do mercado, mas não está segura sobre o quanto ele pode aumentar. Ela decide vender a mesma opção de venda ou put com preço de exercício em 11,90 a saca (ou 5,40 por bushel) por 800 dólares. Se o mercado fechar abaixo de 11,90 (5,40 por bushel) na data de expiração, ela terá de comprar o contrato futuro a 11,90 por saca (ou 5,40 por bushel).

 

Cenário 1: O mercado cai para 10,58 a saca (4.80 por bushel). Se João comprou a opção de venda, quanto dinheiro ele ganhou? Ele exerce a opção de venda ou put, que lhe permite vender o contrato futuro a 11,90 a saca (5,40 por bushel) e simultaneamente comprar o contrato futuro a 10,58 por saca (ou 4,80 por bushel). O lucro é (5.40 – 4.80) * 5.000 = 3.000 {ou (11,90 – 10,58) * 2.267 = 3.000, para um cálculo feito em sacas de 60 kg}. Mas lembre-se que ele pagou 800 dólares pela opção de venda, então deve subtrair 3.000 – 800 = 2.200. O seu lucro líquido é de 2.200 dólares.

Se Maria vendeu a opção de venda, o inverso também é verdadeiro. Ou seja, será atribuído a Maria um contrato futuro de soja comprado a 11,90 dólares por saca (ou 5,40 por bushel). Ela deve vender o contrato no mercado a 10,58 (ou 4,80) para liquidar sua posição de compra a 11,90 (ou 5,40). Como ela recebeu os 800 dólares de prêmio seu prejuízo total é de 2.200 dólares {(4,80 – 5,40) * 5.000 + 800 = – 2.200}.

 

Cenário 2: O mercado permanece inalterado em 12,41 a saca (5,63 por bushel): Se João exercer a opção, ser-lhe-á atribuído um contrato futuro vendido a 11,90 (ou 5,40 por bushel) o que não faz sentido, visto que ele pode vender um contrato futuro a 12,41 (ou 5,63). Portanto, a opção expira sem valor algum e ele perde os 800 dólares do preço original da opção de venda ou put.

Se Maria vendeu a opção, o inverso também é verdadeiro. Ou seja, ela ficará com os 800 dólares recebidos pela opção e será muito pouco provável que lhe seja atribuído uma posição de compra no contrato futuro.

 

Cenário 3: O mercado se eleva para 13,67(6,20): Os mesmos resultados do cenário anterior se aplicam a este cenário visto que a opção de venda não será exercida a 11,90 (5,40). Se ambos os negociadores decidem manter as suas posições até a expiração, o mercado terá de ir abaixo de 11,55 (ou 5.24 por bushel) para João ganhar dinheiro e Maria perder dinheiro.

 

 Este exemplo mostra as razões pelas quais os investidores e produtores compram ou vendem opções. Se o mercado se movimentar substancialmente a seu favor, como fez para João no cenário 1, você realizará um bom lucro com um investimento relativamente pequeno. Contudo, se um movimento substancial nunca ocorrer, você irá mais provavelmente perder dinheiro.

 

No exemplo citado anteriormente João e Maria decidiram segurar as opções até a expiração, mas eles poderiam liquidar a posição antes do vencimento, como a maior parte dos negociadores faz. Neste caso parte do valor extrínseco pode ser recuperado, como no seguinte exemplo:

 

Uma opção de venda com preço de exercício em 12,35 dólares por saca (ou 5,60 por bushel), com vencimento em 21 de fevereiro de 2003, valia 1.075 dólares em 08 de novembro último, quando o contrato futuro subjacente, com vencimento em março de 2003, estava sendo negociado a 12,41 por saca (ou 5,63 por bushel). Na sexta-feira de 06 de dezembro de 2002, ela ainda estava valendo 925 dólares, apesar de o contrato futuro ter sido negociado em 06 de dezembro a 12,36 dólares por saca (ou 5,605 por bushel). Se o comprador da opção escolhesse exercer a opção naquele momento, ele perderia todo o prêmio pago, pois receberia um contrato futuro vendido a 5,60 por bushel (12,35 por saca), tendo que recompra-lo no mercado a 5.605 (12,36), resultando num prejuízo total de 1.100 dólares, mais as comissões e taxas {(5.60 – 5.605) * 5.000 – 1.075 = – 1.100} No entanto, ao invés de exercer a opção ele pode vende-la de volta pelo preço de mercado, ganhando um prêmio de 975 dólares, recuperando assim todo o seu valor extrínseco.

 

Utilizando o mesmo exemplo, caso o comprador decida manter a posição e o preço do contrato futuro da soja com vencimento em março de 2003, chegue a baixar até 11 dólares por saca (ou 5,00 por bushel) até 21 de fevereiro de 2003, por exemplo, ele ainda terá um lucro líquido de 1.925 dólares {(5.60 – 5.00) * 5.000 – 1.075 = 1.925}. Ao liquidar a opção no vencimento, ele receberá um prêmio aproximado de 3.000 dólares, mas como gastou 1.075 dólares para compra-la, seu lucro final líquido é de 1.925 dólares.

 

Os leitores que têm interesse em negociar opções referenciadas na Bolsa de Chicago, poderão faze-lo através da agência local do Banco do Brasil.

 

Nos próximos capítulos, após uma revisão dos principais conceitos sobre contratos futuros e de opções, negociados na Bolsa de Chicago, e suas especificações, partiremos para o estudo das bases históricas e sua utilização na realização de operações de hedge e tomada de decisões na comercialização da soja.